Sines – a baia, falésias, mariscadas e muitos amigos

Vamos a Sines há pelo menos 15 anos, sobretudo naquela época do ano em que ainda não rumámos definitivamente ao Algarve para a época balnear mas já apetece um fim-de-semana de praia. Aproveitamos sobretudo os fins-de-semana prolongados em que nos combinamos sempre com o mesmo grupo de amigos.

Temos a sorte de ter uma casa de apoio, a casa de uma família numerosa, com várias gerações e muitas férias ali passadas, com quem gostamos muito de estar.

Esta casa com vista para a baía de Sines e numa enorme privacidade, é um privilegio para todos nós. Não paramos de lhes agradecer terem aquela casa e gostarem de a partilhar connosco. Acho mesmo que Sines está intimamente ligada a eles, àquela casa e aos almoços e jantares que ali fazemos.

Claro que não podemos ficar todos alojados na casa e por isso vamos alternando os hotéis onde dormimos, regressando à casa principal para as refeições. Já fiquei em vários, sendo a Casa do Médico, indiscutivelmente, aquele que mais gostamos. Os preços rondam os 80€/noite com pequeno-almoço, valor que desce no caso de ser médico/a.

O dia-a-dia em Sines é bastante relaxante. Acordamos, tomamos um bom pequeno-almoço, bebemos café na pastelaria Vela d’Ouro (também conhecida como Galegos), mesmo ao lado do castelo de Sines e vamos até à baía com a criançada. Os almoços que se seguem são indescritíveis de bons, ora um peixe fresco, uma mariscada, uma açorda de marisco, feijoada de búzios, …

À tarde há sempre muito a fazer e embora o destino imediato seja ir para uma das muitas praias entre Sines e Porto-Covo – todas bonitas, que vão surgindo numa sucessão de falésias do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, o fim da tarde pode ser passado em Porto-Covo, entre gelados e mariscadas, ou na enorme varanda da casa a ver o por-dos-sol

Gosto sempre destes regressos a Sines. A experiência de praia por estas bandas, tão diferente do Algarve é sobretudo genuína, muito portuguesa, tradicional e recatada.


Must go and must do em Sines (e arredores):

  • Conhecer as praias entre Sines e Porto Covo (Trinta quilómetros de costa com praias em paisagem protegida)
  • Conhecer o Centro Histórico de Sines (A cidade de Sines está repleta de memórias do grande navegador Vasco da Gama que ali nasceu)
  • Conhecer a praça central de Porto Covo
  • Provar a gastronomia da região, com destaque para o peixe e o marisco
  • Este ano a NÃO PERDER: Tall Ships 2017, de 29 a 2 de Maio, uma das etapas da regata internacional comemorativa dos 150 anos do Canadá
  • Ir ao Festival Músicas do Mundo, um festival que é já uma referência nacional e quiçá Europeia.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s