Do Luso, Coimbra e Buçaco trago uma mala cheia

Do Luso, de Coimbra e do Buçaco trago uma mala de beleza, historia e tranquilidade.

Em qualquer um destes lugares, tão perto e tão diferentes entre eles, respiramos história e tradição.

A viagem ao Centro do país foi em família, mas em modo família alargada e no género feminino. Tias e primas acharam que seria divertido juntarem-se num fim-de-semana sem filhos e sem maridos. Eles (os maridos) apoiaram, ficaram com os filhos e de boa cara! Só por graça contamos quantos filhos(as) pequenos tínhamos deixado entregues aos pais e eram bastantes: 42 crianças!

Sendo ao todo 28, a viagem exigia organização e timings bem definidos. Começamos por nos juntar em carros, de vários pontos do país. 4 carros seguiram do Sul, 1 do Ribatejo e 3 de Lisboa. O primeiro destino e ponto de encontro de todas seria no restaurante Pedro dos Leitões, na Mealhada. Com o seu leitão divinal, foi um excelente ponto de partida para a visita que se seguiria – Coimbra.

Fomos levadas a Coimbra por 2 simpáticos guias que nos convidaram a largar os carros e a conhecer a cidade a pé. Começamos pela ponte de Santa Clara, que se ergue pelo rio Mondego, e fomos até ao centro de Coimbra. E por ai andámos toda a tarde. Perdemo-nos pelas ruas desta cidade Universitária. A cidade dos estudantes, do fado e da capa e batina. Uma cidade onde personalidades como D. Afonso Henriques, D. Sancho I, Rainha Santa Isabel, D. João III e tantos mais, marcaram de forma intensa a identidade da cidade. Coimbra é definitivamente uma cidade que nos dá lições de história e de tradição.

Percurso: Ponte de Santa Clara – Largo da Portagem – Igreja de Santa Cruz – Jardim da Manga – Universidade de Coimbra – Sé Velha – Governo Civil – FIM

Seguimos para o Luso, para o seu Grande Hotel . Já de noite e sem tempo para desfrutarmos dos spas, massagens e demais coisas boas, tínhamos um jantar buffet à nossa espera, o que por si só era gratificante o suficiente para nos fazer ter pena de alguma coisa.

O Buffet simples mas saboroso tem uma relação preço/qualidade muito boa. O Grande Hotel do Luso existe há 70 anos, foi recentemente renovado e ficou muito bem! Os quartos são confortáveis, com decoração simpática e melhor ainda, têm boas camas. Existem no Hotel várias salas de convívio que permitem a grupos, casais ou famílias estarem mais à vontade. Este Hotel continua a ser para mim (desde que lá fui pela primeira vez aos 12 anos), um hotel emblemático, sobretudo pela piscina Olímpica, cheia de água do Luso!

Acordadas bem cedo e com uma manhã solarenga que convidava a estar na rua, quisemos dar um passeio pela vila de Luso e provar da sua famosa água.

Seguia-se uma visita guiada ao Convento de Santa Cruz do Buçaco, um convento dedicado à devoção e ao recolhimento, habitado pela antiga ordem dos Carmelitas Descalços. Este convento impressiona, pela simplicidade, pela presença das selas onde viviam e dormiam os monges, pela Igreja muito simples sem entrada principal. “- Não era preciso”, dizia-nos a guia, “- Eles só precisavam de uma porta para entrar e podia ser lateral…”. Nada sumptuosa, convida a ficar. Os tectos e portas do convento são forrados a cortiça, percebemos quase de imediato porquê: a serra do Buçaco não é para todos! Humidade, invernos rígidos e muita chuva, fazem parte do dia-a-dia desta serra.

Seguimos para os jardins, maravilhosos, inspirados nos jardins franceses, e nos jardins de Sintra. Daqui avistamos a fachada do Palácio do Buçaco, majestoso, com as suas entrançadas arcadas, a lembrar a Torre de Belém e os Jerónimos.

Almoçamos no Real Palace do Bussaco. Muito bonito, num ambiente distinto e requintado. O almoço saboroso e bem confeccionado. A decoração do espaço com frescos que contam os Lusíadas e um tecto imponente, maravilhoso!  Apenas de lamentar a menor simpatia dos empregados que se limitaram a ser gentis e a cumprir a sua função, sem “darem de si”, e sem aquela “entrega” e simpatia  típica das gentes do Centro e do Norte, se é que me entendem. Faltava algum calor no trato mas… pode ter sido de sermos tantas, o que dificulta sempre a logística!

Não importa, gostei, aliás gostámos e achamos que vale a pena voltar.

Nota: as fotografias são da minha autoria e as melhores da prima Susana VC Cordeiro, uma fotografa em franco progresso:) e cheia de talento.

Outras informações:

Almoço no Pedro dos leitões – espaço para grupos grandes. Preço médio 20€/pessoa.

Visita guiada a pé por Coimbra – cerca de 3€/pessoa

Grande Hotel do Luso – Preço por pessoa em quarto partilhado aprox. 35€. Jantar Buffet – 20€

Visita guiada ao Convento e espaços exteriores – 5€/pessoa

Almoço no Palace Bussaco – cerca de 40€/pessoa

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s